Zé do Caixão está cheio de planos para este ano

Por Márcio Bernardino

 

O cineasta José Mojica Marins, criador do demoníaco coveiro Zé do Caixão, nunca foi tão pop. Tudo isso por conta do premiado filme Encarnação do Demônio, fim da trilogia que também teve À Meia-Noite Levarei a Sua Alma (1964) e Esta Noite Encarnarei no Teu Cadáver (1967), que trouxe de volta à telona seu perverso personagem.

 

Mas quem pensa que o recente glamour satisfaz o cineasta, que tem 72 anos de idade e 63 de carreira, está muito enganado. Ele, que participou na tarde de ontem de bate-papo com o público no Café Cultural, no encerramento da sétima edição da Feira Nacional do Livro da Baixada Santista (Fenalba), está cheio de projetos.

 

“Eu vou hoje para a Grécia, onde receberei uma homenagem. Quando voltar, farei três curtas (Posto de Gasolina, que fala sobre o tráfico de drogas; A Revolta das Escondidas, sobre o desaparecimento do sexo masculino do Planeta; e uma terceira fita ainda sem nome e tema definidos)”.

 

Mojica também aposta nos longas. “O próximo será O Devorador de Olhos, sobre um homem que vai para a Amazônia e pega uma doença: ele só fica satisfeito quando chupa o líquido dos olhos de mulheres. Também estou trabalhando em A Praga, roteiro que comecei nos anos 80 e quero lançar em 2009”.

 

Mas não é só isso. Algumas de suas histórias do cinema também vão virar histórias em quadrinhos. “Os projetos de Esta Noite… e Encarnação… já estão encaminhados. Também vou produzir uma série de revistas em quadrinhos com histórias de terror”.

 

NOVAS EXPERIÊNCIAS

 

José Mojica Marins traz em seu currículo mais de 200 histórias, 160 delas para o cinema, com temas que vão do terror ao pornô. Também tem um programa de tevê, no Canal Brasil, à meia-noite das sextas-feiras. “No ar, faço entrevistas e procuro despertar o lado oculto que existe em todas as pessoas”.

 

Autodidata, o cineasta fez aos dez anos o seu primeiro filme, chamado Juízo Final. Agora, também quer montar em São Paulo o Museu do Zé do Caixão. “Quero fazer isso no ano que vem. Reunir objetos, roupas, matérias, filmes. Tudo sobre o personagem”.

 

Fonte: A Tribuna Online