Exposição: Picha – Histórias em Quadrinhos Africanas

Por Michelle Ramos, sobre o press release..

O Museu Afro Brasil (fica no Parque do Ibirapuera – São Paulo – SP) inaugurou no dia 14 de outubro a Exposição Picha – Histórias em Quadrinhos Africanas.

Picha na língua Swahili, ou suali, quer dizer “desenho” e é uma corruptela da palavra inglesa “picture”, imagem.  A exposição Picha apresenta uma imagem colorida e rica da diversidade do continente africano através do  trabalho de 19 desenhistas e roteiristas.

Há desenhistas africanos ativos em todo o continente e a produção é florescente.  Há muitos Festivais de Histórias em Quadrinhos e revistas e álbuns sendo publicados. No Senegal, por exemplo, há um seriado de televisão muito popular baseado em um personagem de quadrinhos: Goorgoorlu.   A vida de Mandela foi descrita em quadrinhos na África do Sul e muitas revistas estão usando as Histórias em Quadrinhos para alertar os soldados sobre os perigos da AIDS na Etiópia.  É surpreendente notar como as Histórias em quadrinhos africanas refletem a realidade (política) africana. Para se falar também de coisas mais leves e alegres é preciso recorrer a subterfúgios. A famosa série de quadrinhos Aya de Ypougon, de Marguerite Abouet, da Costa do Marfim, é uma novela gráfica, tendo como foco o amor, brigas e adultério.  Mas este quadrinho tem como cenário os tranquilos anos 1970 do país, quando a guerra civil da Costa do Marfim ainda estava muito longe de acontecer.

Na África, as Histórias em Quadrinhos podem ser produzidas por um baixo custo, não é necessário ter diploma universitário e são facilmente acessíveis sob o ponto de vista de comunicação.  Estes três fatores são favoráveis para um continente com uma infra-estrutura artística limitada.

O Museu Afro Brasil de São Paulo acolhe esta mostra possibilitando ao público brasileiro uma visão ímpar para da arte das Histórias em Quadrinhos africanas.

É também uma oportunidade para professores e alunos verem a possibilidade de se fazer campanhas contra violência, AIDS em sala de aula. Esta exposição, além dos desenhistas da África, o norte-americano David Brown e o brasileiro Maurício Pestana engrandecem este evento mostrando as semelhanças e diferenças dos desenhistas afro-descendentes nestes dois países junto com seus pares na África.   Este projeto foi viável graças à  colaboração da Fundação Príncipe Claus, e NCDO, na Holanda.  A exposição Picha no Brasil no Brasil foi organizada pela Profa. Dra. Sonia M. Bibe Luyten.

A mostra brasileira e norte-americana por Maurício Pestana, com apoio do Consulado Norte-Americano em São Paulo.  A exposição pode ser visitada até o dia 8 de novembro.

Mais informações
http://ccjuve.prefeitura.sp.gov.br ou pelo telefone (11) 3984-2466.