Almanaque Meteoro #1 e Meteoro Comics #2, de Roberto Guedes.

Por Michelle Ramos.

O Almanaque Meteoro, lançado oficialmente no mês passado, é o primeiro lançamento do selo Guedes Manifesto, nome do blog do autor Roberto Guedes (autor dos livros A Era de Bronze dos Super-Heróis, A Saga dos Super-Heróis Brasileiros e Quando Surgem os Super-Heróis); O Almanaque Meteoro apresenta 52 páginas com Quadrinhos, artigos, entrevistas e pin-ups, com capa colorida e miolo em preto e branco.

A edição apresenta o início da aguardada série de Meteoro, Aquele Que Está Nos Ares. Publicado pela primeira vez em 1992, a HQ conta com o roteiro do próprio Guedes, e com arte da dupla internacional Aluísio de Souza (Victory) e Júlio Cesar Zvir (Shi, Lady Death).

Guedes ainda assina mais dois roteiros: o hilário “Cadê meu gibi, ô meu?” em parceria com o premiado cartunista Marcio Baraldi (Roko-Loko); e “Amor Bandido”, com desenhos de Emir Ribeiro (Velta, Mulher-Maravilha, Thor), estrelando o personagem Mylar O Homem Mistério, criado nos anos 1960 por Eugênio Colonnese. Esta aventura foi produzida para sair originalmente em um álbum da Opera Graphica, mas com o abortamento do projeto, o veterano quadrinista liberou para que a mesma figurasse no fanzine. Trata-se de um inusitado caso de amor entre o herói alienígena e uma linda criminosa.

Já o prestigiado cartunista Bira Dantas (Os Trapalhões, Dom Quixote) relata um encontro apoteótico dos músicos Egberto Gismonti e Herbie Hancock; enquanto que Carlos Henry, um talentoso ilustrador de livros de RPG, conseguiu autorização para apresentar um bombástico crossover entre dois ícones da HQB: Capitão 7 e Fantasticman.

A união de esforços não ocorre apenas no mundo fictício, pois os quadrinistas e ilustradores publicitários André Valle (Sítio do Picapau Amarelo) e Paulo Caesar apresentam um sanguinolento conto de Espada-e-Feitiçaria de deixar qualquer bárbaro com dor-de-cotovelo: “O Ídolo de pedra”.

Nas páginas editoriais, o lendário Rodolfo Zalla (Calafrio, Mestres do Terror) conta sua carreira em detalhes reveladores; e do Sul, Paulo Ricardo Montenegro, criador do site Gibihouse presenteia os leitores com uma – até então – inédita entrevista com Oscar Kern,que fala de seus anos como roteirista da Disney. Por fim, curiosidades editoriais e dicas de colecionismo a respeito das revistas O Pato Donald e Shook ficam por conta dos especialistas Cesar Brito e Gérson Fasano em seus respectivos artigos.

O Almanaque Meteroro tem periodicidade trimestral e custa apenas R$ 5,00 (Para qualquer parte do Brasil. Frete já incluso.) A tiragem é limitada.

Diferente do Almanaque Meteoro, a Publicação Meteoro Comics, que teve sua primeira edição lançada em 2007, pela SM Editora, (atualmente Júpiter II) de José Salles, traz histórias antigas do Mascarado Voador, lançadas em revistas independentes durante a década de 1990.

Que é o caso dessa segunda edição, que republica nada menos que a (então raríssima) primeira aventura de Meteoro, programada para sair originalmente em um almanaque da Editora Phenix em 1991, mas que acabou estreando no ano seguinte pelo selo Status Comics; com roteiro de Guedes, arte de Claudio Vieira (um artista oriundo dos estúdios de Mauricio de Sousa), letreiramento de Vanderfel e edição de Tony Fernandes.

Ou seja, esse é o tão comentado “Meteoro de Capa”, loiro e musculoso, ou conforme Guedes atesta no editorial: “[…] Tony entendia que a vestimenta original que eu inventei com malha toda preta e máscara inteiriça branca, carecia de apelo comercial […] Com o passar das edições, seu cabelo escureceu e o uniforme negro voltou, para, em seguida, ser substituído por aquele que é conhecido hoje, com colete e mangas bufantes.”

A história intitulada simplesmente “Meteoro”, possui 25 páginas e mostra como o jovem Ricardo “Ric” Marinetti adquire seus fantásticos poderes, e decide usá-los no combate ao mal.

Morador do bairro do Ipiranga, e neto de italianos, Ric Marinetti se distingue de Roger Mandari (o novo Meteoro) em vários aspectos, como por exemplo, ser dono de um cachorrinho chamado Kid, ser orfão de pai, e de ter um cast de coadjuvantes bem diferentes de seu sucessor, com exceção da “eterna namorada”, a loira e linda Laura Lopez.

Para adquirir Meteoro Comics #2 (R$: 3,00 – 28 páginas) ou o Almanaque Meteoro (R$: 5,00 – 52 páginas) é só acessar o blog da Editora Júpiter II. Caso prefira garantir um exemplar autografado pelo próprio autor, basta entrar em contato com Roberto Guedes por intermédio de seu blog clicando aqui, ou pelo e-mail guedesbook@gmail.com.

Um comentário sobre “Almanaque Meteoro #1 e Meteoro Comics #2, de Roberto Guedes.

  1. o uniforme branco e preto é mais classico com esse asul ele nen fica parecido com o meteoro e quanto ao cabelo loiro não fassa iso o brasil é feito de uma micigenação e predominada por pretos brancos e mistisso ja esiste milhares de herois loiro até herois que mudan a cor do cabelo quando entra em açao veja o capitão sete era moreno no seuprograma de tv e ficava loiro no desenho e na revista

    Curtir

Os comentários estão desativados.