O século dos quadrinhos na tela grande

O século dos quadrinhos na tela grande

Dá até para fazer um álbum de figurinhas com os personagens de HQs que ganharam filmes

O Século 21 pode ser considerado o século dos quadrinhos no cinema. Afinal, não é pequeno o número de personagens e histórias que foram originalmente concebidos para as páginas de histórias em quadrinhos (HQs) e ganharam a telona entre 2000 e 2011.

Este ano de 2011 já se mostra rico em lançamentos, como Thor, filme com o deus nórdico do Trovão. Ainda estão previstos os clássicos Capitão América (com Chris Evans) e Lanterna Verde (com Ryan Reynolds), além de X-Men: Primeira Turma, que conta a origem dos mutantes Professor Xavier (James McAvoy) e Magneto (Michael Fassbender). E em 2012 haverá dois filmes bastante esperados: Os Vingadores, que reúne vários heróis Marvel, e o terceiro capítulo da nova linhagem do Batman, iniciada com Batman Begins e que depois teve o aclamado Batman: the Dark Knight.

Não que filmes de HQs fossem inexistentes no século 20. Afinal, foi quando surgiu o primeiro Superman, que, 33 anos depois, ainda voa com charme. Houve ainda dois Batman com a marca autoral de Tim Burton (e outros dois, de Joel Schumacher, que desandaram). E O Máskara. E Popeye. E Dick Tracy. E Homens de Preto. E Blade.

Mas o século 21 ganha em quantidade. Em 2000, o primeiro filme dos X-Men mostrou que produções feitas a partir de heróis de quadrinhos podem ser rentáveis para os estúdios, desde que sejam bem feitas. Claro que de lá para cá houve bombas como Mulher-Gato. Por outro lado, Homem-Aranha e Batman ganharam filmes de acordo com a grandeza dos personagens. Isso sem falar em Zorro e Sherlock Holmes, concebidos em obras literárias, mas constantemente retratados em HQs. Zorro tem um filme de 1998 e outro de 2005, ambos com Antonio Banderas. Já o Sherlock Holmes que traz Robert Downey Jr. no papel principal foi baseado em uma HQ de Lionel Wigram — que, diga-se, nunca ganhou uma edição em papel; foi parar direto na telona.

A grande seara de HQs no cinema é fruto das duas maiores editoras do gênero, a Marvel e a DC Comics. A primeira percebeu a rentabilidade dos heróis e passou a produzir, ela mesma, filmes com Homem de Ferro, Hulk e Capitão América — e promete um capítulo apoteótico em Os Vingadores. Já a DC, de Superman e Batman, viu obras mais alternativas, como V de Vingança e 300 ganharem a telona, em produções da Warner — a quem a DC pertence.

Mesmo com todos esses filmes, ainda é grande a lista de personagens de HQs que ainda não tiveram uma produção própria na tela grande. Será que eles vão chegar lá?

Lycio Vellozo Ribas (Bem Paraná)

Um comentário sobre “O século dos quadrinhos na tela grande

  1. Pingback: O século dos quadrinhos na tela grande « Zine Brasil | iComentários

Os comentários estão desativados.