Charlie Hebdo: Cartunistas brasileiros falam sobre atentado ao jornal francês no JN

Após saberem do atentado ao jornal humorístico “‘Charlie Hebdo“, cartunistas brasileiros foram entrevistados pelo Jornal Nacional comentando o ocorrido na França, entre os entrevistados estavam Laerte Coutinho, Chico Caruso, Ziraldo e o Ique.

Os artistas demonstraram a admiração que possuem pela arte desenvolvida pelos cartunistas da Charlie Hebdo, em especial ao veterano Geroges Wolinski, considerado por muitos o maior cartunista em atividade no mundo, sendo o mesmo referencia para os grandes cartunistas do Brasil.

charlie hebdo- cartunistas br

É notável  emoção e a sensação de estarrecimento por parte de cada artista, a emoção, revolta e tristeza deram lugar a reflexão sobre a importancia de garantir o respeito as diferenças e a liberdade de expressão no mundo. confira abaixo algumas das frases mais marcantes da entrevista.

É o imponderável travestido de Guerra Santa, mas é uma covardia religiosa isso… Uma covardia criminosa, travestida de religiosa. (Chico Caruso)

É muito chocante porque…porque é uma coisa inimaginável! Voce entrar por uma redação e atirar a esmo e matar doze pessoas! Quer dizer… Que civilização é essa? Que civilização é essa? … Eles realmente influenciaram toda uma geração, a minha geração, aqui no Brasil, todo mundo. (Ziraldo)

Foi decisivo assim, mudou minha vida, conhecer o trabalho dessas pessoas ilumina as possibilidades da vida da gente assim, e numa época que eu tava em formação, gostava muito de desenhar mas eu não sabia direito o que fazer com o desenho ainda, ai então essa gente emitia uma luz orientadora. Acho que é um momento pra gente se solidarizar com o Charlie Hebdo, que é um patrimônio da Humanidade, um jornal importantíssimo para a Historia do Humorismo, do jornalismo combativo. (Laerte)

Olha esse atentado chocou a todos nós, principalmente aos cartunistas, e eu classifico, eu comparo esse atentado ao 11 de Setembro, esse é o 11 de Setembro dos cartunistas. Eles eram os Melhores do Momento, estavam ali dando o melhor deles, na batalha contra o terrorismo, a favor da liberdade de expressão, jamais imaginei que um desenho fosse provocar um ataque terrorista. Quando eles deram um tiro nos cartunistas, eles não mataram só aqueles cartunistas que estavam na frente de batalha, eles deram um tiro em cada um de nós. E esse tiro a gente vai sentir daqui pra frente porque eles queriam matar não os cartunistas, mas a essência do cartunista, a essência da luta deles. Que é contra esse radicalismo religioso, contra a falta de liberdade de expressão, a liberdade jornalística, do próprio desenho, do cartum, do humor, desse limite do humor, o limite do humor é o limite da defesa da sociedade e dos interesses da comunidade como um todo. (Ique)

Confira a reportagem do Jornal Nacional clicando aqui.

Em tempo, estamos reunindo algumas de várias artes em homenagem aos cartunistas mortos na página do Zine Brasil aqui, acesse para conferir.

:: Aproveita e curta a nossa Página no Facebook!

Anúncios

Um comentário sobre “Charlie Hebdo: Cartunistas brasileiros falam sobre atentado ao jornal francês no JN

  1. Pingback: Morre Arnaldo Albuquerque, artista pioneiro dos quadrinhos no Piauí | Zine Brasil

Os comentários estão desativados.