Resenha: Liga do Cerrado #3 e #4

Sabe aquele humor puro que não precisa apelar para termos preconceituosos ou pornografia? Fique sabendo que ele não morreu com os antigos mestres do humor não. Temos dele aqui mesmo no Brasil, precisamente nas histórias em Quadrinhos, como na “Liga do Cerrado“.

Em 2009 tive o prazer de resenha a edição dois da Liga (confira aqui), e assim conheci o trabalho dos autores Geuvar Oliveira, Ronimar Messias e Gabriel Gomes.Liga do cerrado-3e4

Anos depois posso apreciar a continuidade desse material tão autentico e rico da nossa cultura nordestina num ambiente heroico.

Recebi do autor Geuvar Oliveira as edições #2 e #3 (R$: 5,00 cada), e #4 (R$: 12,00), aqui comento apenas as duas ultimas, já que a dois já resenhei aqui no site, como citei acima. Então vamos lá.

A edição três mantém a qualidade criativa anterior e ainda conta com a participações especiais, como a presença do personagem “O Bucha”, criação do Samuel Bono, outro personagem também conhecido por ser “cheio de graça”. Somando as participações especiais, a história é de Edvanio Pontes e desenhada pelo Adriano Sapão, com cores de Ronimar Messias.

A participação do Bucha acontece na HQ “O Salário nosso de cada dia”, quando o personagem procure unir forças com a Liga do Cerrado para enfrentar um monstro numa clara e engraçada referencia a um Hulk transtornado, que deseja “esmagar” a inflação e acabar com os chefes de estado que não aumentam o salário do trabalhador brasileiro, a confusão esta armada pois o Bucha não tem muita delicadeza com as palavras, o que causa um entrave com a esquentada “Maria Paulada”.

20150123_160703Já a segunda e ultima HQ dessa edição, “Do Fundo do Lago” (roteiro do Geuvar Oliveira e arte, do Gabriel Gomes) surpreende pelo ambiente mais sombrio e cheio de suspense, porem sem perder o humor característico dos personagens, nessa HQ o destaque fica por conta do galanteador Homem Pochete, que buscava curtir uma noitada, e acredita que tirou a sorte grande ao encontrar uma bela mulher andando solitária e indefesa na rua. A confusão é garantida.

Assista também a resenha em vídeo no nosso Canal ZB das edições #2, #3, e #4.

Já a edição quatro chega causando saindo um pouco maior que anterior e com lombada quadrada, além de 72 páginas de pura curtição. A edição tem duas historias, a primeira totalmente colorida chama-se “Um dia de Choque”, (Geuvar Oliveira no Roteiro e Arte) e apresenta um indivíduo comum, o Juvenal, que por não dinheiro para pagar sua conta de Luz, tem o fornecimento de energia cortado. Só que o que parecia simples toma proporções calamitosas, pois transtornado pelo calor e pelas muriçocas (isso mesmo rsrsrs) o Juvenal resolve fazer a velha “gambiarra”, nessa prática ele leva uma baita descarga elétrica, ele morre? Claro que não! Ele é transformado num ser de pura energia que assolará a cidade em busca de vingança, é pau, é briga e muitos risos.

A última HQ é de dar nojo literalmente, “Escarro e Rola Bosta” traz Edvanio Pontes (roteiro), Cleiber Vieira (desenhos) e Geuvar Oliveira (cor e diagramação). Nessa HQ a Liga enfrenta dois bandidos ou vilões como queiram, possuem poderes que envolve o exato titulo da HQ, ou seja, humor e nojeira correm literalmente soltas nessas páginas.

20150123_171806Falar mais do que estou falando é estragar as histórias. A Liga do Cerrado cumpre muito bem seu objetivo de entreter e divertir o leitor. A quarta edição ainda traz extras especiais, como um caderno de rascunhos do autor Geuvar, com comentários de produção, galeria de artes dos personagens na arte de Ronimar Messias, Gabriel Gomes e do próprio Geuvar.

Para não deixar de apontar algo que achei que foi negativo, deixo a sugestão aos autores que busquem adicionar seus contatos de email e endereços na internet, com a tecnologia em alta, acredito que valoriza ainda mais o trabalho quando o mesmo se apresenta com um endereço virtual de contato, pois quando o interesse pelo material acontece é a primeira coisa que fazemos é procurar o site ou Facebook da publicação, e na edição mais recente (quatro) não aconteceu.

Fora esse detalhe, A Liga realmente salva o bom humor, Recomendo.

Anúncios