Lançamento: Coisas de Adornar Paredes, novo álbum de José Aguiar

https://i0.wp.com/i124.photobucket.com/albums/p9/zine_brasil/zine_brasil001/anuncio-CanalZB-2015.jpgCoisas_adornar_capaEm sua nova obra o premiado quadrinista José Aguiar, autor da elogiada webcomic A Infância do Brasil e das tiras Folheteen e Nada Com Coisa Alguma, lança seu olhar sobre a paisagem urbana para criar uma série de histórias sobre as coisas que colocamos em nossos ambientes pessoais.

Este é um projeto realizado pela Quadrinhofilia Produções Artísticas, através do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura da Fundação Cultural de Curitiba, com incentivo do Banco do Brasil e Celepar.

SOBRE A OBRA

Em “Coisas de Adornar Paredes“, temos Curitiba, a cidade natal do autor, como inspiração, mas aparece no livro longe dos lugares comuns dos cartões postais e livros fotográficos que a abordam. É uma Curitiba universal, que poderia ser identificada em qualquer outra cidade. Elementos banais, às vezes quase invisíveis, como fachadas, quadros, e até rachaduras, são o ponto de partida para narrativas que falam das pessoas comuns que dão vida à metrópole. Amor, terror, violência ou surrealismo, são alguns do temas que cada “coisa de adornar” traz à tona, pois toda cidade é viva, respira e se expressa. Uma forma de entendê-la é através de elementos decorativos inusitados ou corriqueiros encontrados nas suas paredes. Tudo aquilo que é possível pendurar, riscar, colar ou criar sobre elas fala não apenas de nosso ambiente, mas de nós mesmos. A relação que as pessoas constroem com seus objetos cotidianos ao lhes atribuir valores emocionais, sociais ou até surreais é parte da vida urbana.

O livro narra a busca de um aspirante a escritor que está tentando mudar de profissão investindo em seu sonho: a tentativa da publicação de um livro. O azulejo forma simbolicamente o mosaico que une oito histórias dentro da história principal da HQ.coisas_preview_01

“Esse personagem fala um pouco das experiências que eu e tantos colegas passamos para conseguir publicar nossos livros e quadrinhos. Não deixa de ser uma reflexão sobre as dificuldades de se viver de arte. Mas o que parece ser uma discussão paralela ao tema principal do livro, acaba sendo a cola que une cada “azulejo” que busco colar nas paredes que o compõe.” – explica Aguiar.

CONTRAMÃO

Trata-se de um projeto completamente diferente de sua obra mais recente, a webcomic A Infância do Brasil, que narra a história de nosso país sob a perspectiva da infância e foi publicada na internet traduzida simultaneamente em 04 idiomas, além de recursos de interatividade e muito conteúdo complementar. A ideia em Coisas de Adornar Paredes é ir na contramão da HQ virtual e valorizar o objeto livro e, em particular, formas tradicionais de ilustrar.

“Cada projeto tem sua forma correta de ser realizado. Aqui, pude trabalhar a ilustração em preto e branco, através da técnica de “aguada”, com seus ruídos, manchas e vazios que têm uma espontaneidade muito grande. Foi minha volta aos pincéis, depois de algum tempo trabalhando praticamente só com arte-final e cores digitais. Essa arte “crua” dialoga com os contos criados por meu personagem, que é um autor em início de carreira; sem falar que cria uma atmosfera e poder de sugestão que dão muita força a cada um deles.”– explica Aguiar.

O embrião deste livro surgiu ano de 1999, na antologia independente de artistas curitibanos “Almanaque Entropya -Volume 3”. Na ocasião, Aguiar publicou duas histórias em quadrinhos curtas, que já traziam o título dessa publicação, que leva o conceito inicial bem além do que sonhava aquele então aspirante autor de quadrinhos.coisas_preview_04

Coisas de Adornar Paredes” é um projeto sobre aquelas pequenas coisas em que presto atenção quando caminho pelas ruas de Curitiba ou quando visito a casa de alguém e me deparo com alguma sutileza que me sensibiliza. É um olhar especulativo sobre o que vivo, por ser cercado, como todo mundo, por toda sorte de coisas de pendurar, colar ou que marcam nossas paredes. Paredes adornadas com mais histórias do que conseguimos imaginar.” – define o autor.

O álbum foi lançado oficialmente ontem na Gibiteca de Curitiba, e conta com Capa colorida (acabamento em verniz e relevo), Miolo PB

120 páginas. Editora: Quadrinhofilia.

Para outras informações ou adquirir a edição acesse www.quadrinhofilia.com.br

***

Em Tempo: Confira em vídeo, nossos comentários sobre a Webcomic A Infância do Brasil, também do autor.

 

Anúncios